30/04/2010

8º dia - 13/01/2010 - Quarta-feira


SAN PEDRO DE ATACAMA – PASSEIOS

VALLE DEL ARCO-ÍRIS e VALLE DE LA LUNA
Como de praxe, pela manhã, vieram nos buscar no hostal e para nossa surpresa era o Oscar (guia do passeio das lagunas na tarde de ontem) que seria o nosso parceiro neste passeio, porém o grupo era bem menor em relação aos outros passeios, seis brasileiros (conosco) e uma chilena. Pegamos a estrada, poucos quilômetros rodados e fizemos nossa primeira parada no mirante do Valle de La Luna, uma amostra do que nos aguardava no passeio programado para o final da tarde. Um local totalmente diferente parece realmente que não estamos na Terra, muitas fotos e seguimos viagem. Rodamos uns 70 km e chegamos a Hierbas Buenas, este lugar em épocas pré-hispânicas era utilizado pelos viajantes como local de descanso em suas expedições. Os atacameños gravavam nas pedras suas mensagens (petróglifos) para os viajantes, principalmente a imagem de animais como lhamas, zorros dentre outros. Este é o local que mais nos chamou a atenção para fazer este passeio, é impressionante a perfeição dos desenhos, alguns em pedras de difícil acesso, desenhos de variados tamanhos, alguns de fácil identificação outros nem tanto. Um deles muito interessante é o desenho da lhama com um a lhama menor em seu ventre representando a fertilidade. Muitas fotos e seguimos para o Valle Del Arco-íris, porém no caminho uma parada, pois o Oscar quis nos apresentar uma pequena horta com plantação de milho, batata, cebola, damasco e flores cultivados num vale no meio do deserto. Interessante, pois todos os produtos conhecidos e cultivados também aqui na nossa região, porém produzidos também ali, no meio daquela aridez. Curioso, pois nesta região encontramos vários esqueletos ou restos de burricos ou lhamas em decomposição, será que era um cemitério a céu aberto para os animais? Não descobrimos. Conforme nos aproximávamos do Valle Del Arco-íris as cores ficavam mais contrastantes, uma bela imagem muito parecida com que já tínhamos visto em Cafayate, Tilcara e Purmamarca na Argentina, porém com formações diferentes. Local perfeito para brindarmos a ótima companhia e ao belo passeio, nosso guia já estava acostumado com as brincadeiras e gírias brasileiras. Neste passeio conhecemos os brasileiros: Roberto e Regina de Salvador, a Idely e a Priscila de São Paulo, a chilena Fernanda de Santiago e nosso já conhecido guia Oscar, a conversa rolou solta. Bem alimentados voltamos à estrada, agora com destino a cidade de Rio Grande, estrada bastante sinuosa com barranco de um lado e do outro um precipício. Com uma belíssima imagem de um vale bem fértil lá na base daquela montanha deserta. Chegamos e a cidade parecia abandonada, pois nenhum dos seus noventa e três habitantes apareceu. Tiramos muitas fotos, é uma cidade encantadora com suas casas construídas de pedras unidas com barro, tetos de palha com as vigas de madeira de cactones. Retornamos a San Pedro às 16h, comemos empanadas e passeamos pela cidade, mas era hora de pegarmos a moto e conhecermos o Valle de La Luna. Fomos passeando, encantados com as formações moldadas pelo vento e pela chuva neste vale declarado Santuário da Natureza. Estacionamos a moto aos pés da duna e começamos a subida para conseguirmos uma boa vista do pôr-do-sol. Mais algumas fotos e ficamos sem bateria nas duas máquinas fotográficas e o sol ainda nem tinha acabado de se despedir. Restou nos guardar na memória este belo espetáculo. Voltamos ao hostal, pois na manhã seguinte estava marcado nosso retorno a estrada, mais uma parte da nossa viagem fora cumprida. Ficou muita atração sem ser vista na cidade, mas tínhamos outros objetivos a serem alcançados ainda nesta viagem, portanto ficará para outra oportunidade conhecermos a belezas não vistas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário